São Paulo é apontado o melhor estado da América Latina para investir

WILSON MARINI

wilson.marini@gmail.com

O Estado de São Paulo acaba de ser eleito a melhor unidade estadual dos países da América Latina para atrair investimentos, de acordo com ranking de competitividade da revista britânica fDi, editada pelo grupo Financial Times, que produz o mais importante jornal econômico e financeiro do planeta. O levantamento, divulgado no Brasil pela agência oficial de investimentos Investe SP, ligada ao governo paulista, é resultado do estudo “Latin American States of the Future 2018/19” (Estados Latino-Americanos do Futuro 2018/2019). Dos 171 estados que foram analisados, São Paulo foi classificado como o de número 1 no ranking geral. Segundo dados do Greenfield, monitor de investimento fDi Markets, 592 empresas investiram em 659 projetos no Estado de São Paulo no período estudado. “Ser apontado como o melhor Estado para investir nos dá muito orgulho e mostra que estamos no caminho certo em identificar oportunidades, incentivar as parcerias e dar suporte a empreendedores e potenciais investidores. É isso que faz o Estado crescer”, comemora o presidente da agência, Marcos Monteiro.

PIB

Os dados do Financial Times também mostram que São Paulo como um todo – Interior e Capital – concentra o maior PIB do Brasil e está no topo da lista nas categorias “Potencial Econômico”, “Ambiente de Negócios” e “Estratégia FDI – Atração de Investimentos”. Na interpretação da Investe SP, com a divulgação desse diagnóstico, São Paulo amplia a sua liderança em economia e competitividade, já que havia conquistado a primeira posição do ranking entre os estados da América do Sul desde 2014. Agora, o potencial paulista se sobressaiu frente aos estados da América Latina, ampliando a sua área de influência. “As empresas buscam investir em São Paulo como porta de entrada para expandir pelo território brasileiro”, avalia Sérgio Costa, diretor de investimentos da Investe SP. “E também, a partir do maior mercado, que é o estado paulista, exportar para toda a América Latina”. Em segundo lugar no ranking, aparece Buenos Aires e em terceiro, o Distrito Federal do México. Do Brasil, aparecem no ranking da América Latina o Rio de Janeiro em décimo lugar, Paraná (15º), Minas Gerais (19º) e Rio Grande do Sul (21º).

O levantamento

A Atento, operadora de contact center com base espanhola, contratou 3 mil pessoas para a central de atendimento em Guarulhos, é um dos exemplos citados no levantamento. A empresa também possui uma base na Capital e ambos investimentos somaram mais de US$ 46 milhões. A reputação de São Paulo como estado com maior concentração de escritórios regionais de multinacionais e centros de investimentos levou à conquista do primeiro lugar na categoria Ambiente de Negócios. E o topo do pódio pelo Potencial Econômico é resultado da capacidade produtiva, mão de obra qualificada, logística, variedade de fornecedores e cadeia de suprimentos de alto padrão e um ambiente institucional seguro para investimentos, que se espalha por todas as regiões do Estado, inclusive o Interior Paulista, onde nos últimos anos se dá o maior crescimento.

Negócios de vento em popa

As micro e pequenas empresas (MPEs) paulistas fecharam o primeiro semestre de 2018 com aumento de 4,4% no faturamento em relação ao mesmo período de 2017. O comércio apresentou crescimento de 10,9%. O Grande ABC é destaque entre as regiões pesquisadas, com um salto de O destaque entre as regiões pesquisadas é o Grande ABC, cujo faturamento no semestre deu um salto de 24,5% sobre os primeiros seis meses de 2017, segundo o Sebrae-SP.

Aeroespacial

Com sede em São José dos Campos, o Grupo Akaer, uma das principais companhias do setor aeroespacial brasileiro, é tema de reportagem na última edição da revista Pesquisa, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Especializada no desenvolvimento de projetos aeronáuticos, aeroestruturas – asas, fuselagem, trem de pouso -,, ferramental para produção de peças de aviões e de sistemas espaciais, a empresa planeja tornar-se nos próximos anos uma provedora global de primeira linha do mercado aeronáutico, espacial e de defesa. Seus principais clientes são a fabricante sueca Saab, fornecedora dos jatos Gripen para a Força Aérea Brasileira (FAB), e a Embraer.

Violência na fronteira

Relatório do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (Idesf) mostra que a violência aumenta em cidades fronteiriças do país. O presidente do órgão, Luciano Stremel Barros, em entrevista à Agência Brasil, afirma que os municípios que mais sofrem com a violência são aqueles que apresentam a pior estrutura educacional e de saúde e menos oportunidades de empregos formais. Com 150 quilômetros de largura e 16 mil quilômetros de extensão, a fronteira representa 27% do território nacional, abrange 11 Estados e 588 municípios. Segundo o estudo, os índices de homicídios são alarmantes nas fronteiras com o Paraguai, entre Foz do Iguaçu e Porto Murtinho (MS)”.