Contexto Paulista: Investimento em celulose dá impulso a novo polo de desenvolvimento no Interior

Wilson Marini - wmarini@apj.inf.br - Rede APJ - 31/julho/2019

Ao anunciar investimento de R$ 7,5 bilhões da empresa Bracell na expansão da sua fábrica de celulose em Lençóis Paulista, o governo estadual deu a partida para transformar o segmento de Papel, Celulose e Reflorestamento em um novo polo oficial de desenvolvimento econômico no Estado, o de número 12. Trata-se do maior investimento empresarial na região de Bauru em 20 anos, que deverá impactar 50 municípios, segundo a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico. Já o novo polo abrangerá as regiões de Araçatuba, Barretos, Bauru, Baixada Santista, Campinas, Central, Franca, Itapeva, Marília, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São José dos Campos, Metropolitana de São Paulo e Sorocaba, envolvendo 171 municípios.

A expansão da fábrica

A produção da unidade passará de 250 mil toneladas atuais para 1,5 milhão de toneladas/ano até o final de 2021. O projeto empregará até 7.500 trabalhadores na fase de obras, e mais 2.100 na operação completa da fábrica e no campo, além dos que já estão atualmente empregados. A Bracell se tornará a líder mundial na produção de celulose solúvel. No Estado, a empresa produz celulose de eucalipto branqueada usada em papéis e embalagens. Pertencente ao grupo RGE, de Cingapura, a empresa adquiriu a Lwarcel Celulose, em Lençóis Paulista, há um ano.

Outros polos

Os demais polos de desenvolvimento do Estado, anunciados no primeiro semestre, abrangem os setores de Saúde e Farma; Metal-metalúrgico, Máquinas e Equipamentos; Automotivo; Químico, Borracha e Plástico; Derivados do Petróleo e Petroquímico; Biocombustíveis; Alimentos e Bebidas; Têxtil, Vestuário e Acessórios; Couro e Calçados; Tecnologia e Eco Florestal.

Sede nova da Junta

Já funciona a nova sede da Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp), a maior da América Latina, no bairro da Lapa, na capital. Com 129 anos, é o órgão responsável por registrar atividades relativas a empresas dos 645 municípios do Estado. Com a modernização, a abertura de empresas de baixo risco baixou para 24 horas – antes a média era de quatro dias. Até 2022, o empreendedor paulista deverá a abrir a sua empresa em 3 horas, promete o órgão. A Jucesp representa mais de 40% do volume de operações com abertura, fechamento e alterações societárias de empresas no Brasil.

Georreferenciamento

Aumentar a arrecadação é um desafio enfrentado por todos os municípios. Serra Azul, na região de Ribeirão Preto, encontrou uma saída inteligente. A prefeitura conseguiu triplicar a arrecadação fazendo georreferenciamento das casas da localidade. O sistema permite mapear todos os imóveis em desacordo com o cadastro na prefeitura. “Na maioria dos municípios, como era no nosso caso aqui, esse cadastro estava desatualizado, e se pagava só sobre o terreno”, conta o diretor de Finanças da prefeitura, Donizete Aparecido Soares.

Turismo industrial no Grande ABC

Desde 2013, quando foi implantado em São Bernardo do Campo, a modalidade de turismo industrial já recebeu 15 mil visitantes entre as plantas industriais da cidade. Hoje é considerado referência no Brasil. Agora, segundo o Diário do Grande ABC, o Consórcio Intermunicipal da região trabalha a ampliação do programa para as demais cidades. “O turismo industrial promove o ecossistema econômico da região, além de estimular os moradores a conhecer melhor as nossas cidades”, afirma o coordenador do projeto, Rubens Gallino Junior. O turismo industrial consiste em visita monitorada a empresas, que abrem as portas para receber grupos de pessoas interessadas em conhecer a estrutura das unidades produtivas, a forma de produzir e a tecnologia empregada.

Confiança em alta

O Índice de Confiança da Construção, medido pela FGV, subiu 2,6 pontos de junho para julho deste ano. A pesquisadora Ana Maria Castelo diz que o resultado é reflexo de uma melhora no ambiente de negócios e expectativas de curto prazo mais favoráveis. No mesmo período, o Índice de Confiança do Comércio, medido também pela FGV, cresceu 2,3 pontos. O pesquisador Rodoplho Tobler afirma que os empresários percebem alguma evolução no ritmo de vendas do setor e que o cenário de recuperação deve ser manter.

Melhoria em saneamento

Bauru subiu 14 posições e passou a ocupar a 61ª posição no ranking de saneamento do Instituto Trata Brasil, segundo o Jornal da Cidade. A pesquisa abrange as 100 maiores cidades do Brasil. O ranking leva em consideração os percentuais da população com acesso aos serviços de abastecimento de água, coleta de esgoto, tratamento de esgoto, investimentos e perdas de água. O estudo confirma que 99,9% da população de Bauru possui atendimento de água. A cidade também recebeu nota máxima nos indicadores de atendimento urbano de coleta de esgoto, que atinge 98,8% da população.

Boa notícia

O Interior Paulista fechou o primeiro semestre do ano com redução nos homicídios, nos latrocínios e em todas as modalidades de roubos e furtos, segundo a Secretaria da Segurança Pública.