Contexto Paulista: Grupo EDP anuncia investimentos no Estado

Aproximadamente R$ 2,5 bilhões serão investidos pelo grupo EDP, multinacional portuguesa que atua em toda a cadeia de valor do setor elétrico, no Estado de São Paulo. Os recursos contemplam projetos nas áreas de Distribuição, Transmissão de Energia Solar e Mobilidade Elétrica durante o período 2019-2023, além de projetos sociais e culturais. São iniciativas que gerarão 3 mil novos postos de trabalho durante o período das obras, além dos 4.500 colaboradores que a EDP já emprega direta ou indiretamente em São Paulo. O grupo atua na cadeia do setor elétrico.

Alto Tietê, Vale e Litoral

Com foco na expansão e modernização da rede elétrica, infraestrutura e atendimento,

A EDP vai investir R$ 1,5 bilhão apenas nos 28 municípios da área de concessão da EDP São Paulo, que abrange as regiões do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte do Estado. A área abrange cerca de 5 milhões de pessoas.

Nova sede em São José

O grupo iniciou em São José dos Campos a construção de sua nova sede, orçada em R$ 30 milhões. Novos funcionários serão contratados. A obra tem conclusão prevista para o início de 2020. A companhia investirá R$ 150 milhões no trecho paulista dos 375 quilômetros de linhas de transmissão de energia em construção entre Cachoeira Paulista e Estreito (MG).

No Norte do Estado

O Grupo EDP vai destinar ainda R$ 700 milhões, por meio da subsidiária EDP Renováveis, para a construção um parque solar fotovoltaico em Pereira Barreto. O projeto contará com mais de 635 mil painéis solares, divididos em cinco parques que ocupam uma área equivalente a 545 campos de futebol e potência instalada de 205 MW (megawatts). O início da operação está previsto para 2021.

Rio Claro na rota

A fábrica da SEW-Eurodrive Brasil em Indaiatuba anunciou investimento de R$ 300 milhões para as unidades de Indaiatuba e Rio Claro. A empresa alemã, líder na fabricação de tecnologia de acionamentos para a indústria em geral, estima gerar 100 novos postos de trabalho nas duas fábricas, com investimento até 2021. E anunciou ampliação de um acordo com a Unicamp para o desenvolvimento de tecnologia.

Tecnologia 4.0

“São Paulo é o Estado mais desenvolvido tecnologicamente do País e já está dentro da indústria 4.0. Temos qualificação de mão de obra preparada para isso, no ensino superior e no ensino técnico e também pela alta industrialização. O Estado mais industrializado do País é São Paulo, com empresas europeias, asiáticas e também americanas, que aqui concentram o desenvolvimento de programas tecnológicos” – João Doria, em Indaiatuba, segunda-feira (28).

Ceagesp vai mudar

Acordo do governo estadual com o federal permitirá a transferência da unidade da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), na Vila Leopoldina, zona Oeste da capital, para um novo endereço e a sua concessão à iniciativa privada. A estrutura atual está saturada, ineficiente e ultrapassada, diz o secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira. “Não é adequado que um entreposto dessa vultuosidade esteja localizado dentro do centro expandido da capital. O ideal é que ele seja transferido para um local com todas as condições de infraestrutura e logística para melhor atender aos usuários”.

Perfil atual

O encerramento das atividades na atual Ceagesp acontecerá após a conclusão do novo entreposto. A Ceagesp da Vila Leopoldina é a maior central de abastecimento da América Latina, com área total de mais de 630 mil metros quadrados. Emprega mais de 30 mil funcionários e comercializa três milhões de toneladas de alimentos ao ano, com movimentação financeira de cerca de R$ 7,5 bilhões no período.

Infraestrutura a produtores rurais

O novo entreposto deverá ser transferido para um local com área construída mínima de 300 mil metros quadrados e oferecer infraestrutura que atenda a atual demanda dos produtores rurais, atacadistas, varejistas, cooperativas, importadores e exportadores. A nova Ceagesp terá processos mais modernos de conservação, controle de qualidade e rastreabilidade dos alimentos. Ao Estado, caberá a fiscalização.

Centro de inovação

A região ocupada pela Ceagesp dará lugar ao Citi – Centro Internacional de Tecnologia e Inovação, que deverá ser o mais avançado ambiente de criatividade e desenvolvimento de startups do Brasil. O foco é o desenvolvimento e aplicação de hardtech (serviços de alta intensidade tecnológica).