Cidades paulistas se destacam em saneamento

Cidades paulistas se destacam em saneamento

Piracicaba, Birigui, Santos, Franca, Jundiaí, Araçatuba, Araraquara e Limeira são, pela ordem, as cidades paulistas com mais de 100 mil habitantes que estão no topo do ranking Universalização do Saneamento, da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes). O estudo avalia os indicadores de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto e destinação de resíduos sólidos. Essas oito cidades estão entre as dez melhores do país na soma desses quesitos.

E mais

Alcançaram colocações de destaque também as cidades de Taubaté, Votorantim, São José dos Campos, Barretos, São Caetano do Sul, Salto, Poá, São José do Rio Preto, Sertãozinho, Americana, Pindamonhangaba, Itu, Catanduva, Ribeirão Preto, Sorocaba, São Carlos, Botucatu e Rio Claro.

Saúde

O ranking estabeleceu relação direta das políticas de saneamento com as condições de saúde da população. As cidades com as menores pontuações obtiveram taxas maiores de internações e de mortalidade geral, enquanto as mais bem posicionadas apresentaram as menores taxas de internações por doenças ligadas ao saneamento inadequado.

Gás

Após dois anos de queda, a indústria paulista registrou em 2017 aumento de 4% no consumo de gás natural no Estado. O setor cerâmico foi um dos principais fatores para essa retomada. A recuperação ocorreu principalmente no período de julho a dezembro. O comércio também apresentou elevação no acumulado do ano, com alta de 6,6%. O gás natural é distribuído no Estado pelas concessionárias Comgás, Gás Brasiliano e Gás Natural Fenosa, que atendem a 177, 375 e 93 municípios respectivamente.

Startups

O Parque Tecnológico de Sorocaba está incentivando o desenvolvimento de projetos de startups digitais. Já recebeu 30 inscrições de ideias apresentadas por universitários da região e uma de São José do Rio Preto. Inscrições vão até o dia 10 e março. Dez projetos serão selecionados para receber apoio do programa por quatro meses.

Inovação

Bauru já tem oficialmente o seu Centro de Inovação para funcionar como incubadora de empresas. Será gerido pela Fundação para o Desenvolvimento da Unesp em parceria com o poder público e universidades, segundo o Jornal da Cidade, da Rede APJ.

Em Jundiaí

Depois de um ano com ligeira alta de disponibilidade de espaço de galpões logísticos classe A em Jundiaí, o setor projeta crescimento maior em 2018, segundo apurou o Jornal de Jundiaí, da Rede APJ. Entre as novidades estão a chegada na cidade do centro de distribuição da multinacional  Sandvik. Segundo consultoria imobiliária especializada no setor, a disponibilidade de espaço de galpões logísticos, um dos indicadores desse segmento, deve cair para 25% contra os 27%, registrados em 2017 no município, o que denota retomada do crescimento econômico na região.

Em Osasco

Uma empresa gigante na área tecnológica ligada ao turismo está de malas prontas para se mudar para Osasco, segundo o Diário da Região, da Rede APJ. Outras duas empresas de tecnologia estariam negociando para trazer suas sedes ao município. Vai pesar nas decisões o fato de a cidade contar  com uma extensa rede de fibra ótica e ter fácil acesso a rodovias e à capital. “Osasco está com grande potencial para se tornar o Vale do Silício”, anima-se  o prefeito Rogério Lins, numa referência ã região dos EUA que concentra  empresas de alta tecnologia, eletrônica e informática.

Região de Sorocaba

O grupo Lonza, de Salto, fabricante de cloro, inaugurou seu centro de tecnologia. Presente na cidade desde 1991, investiu R$ 8 milhões para o desenvolvimento de  novas tecnologias e fórmulas em áreas de biociências.

Empregos em recuperação

O número de admissões no Grande ABC cresceu quase 7% em janeiro deste ano em comparação com o mesmo mês do ano passado. Segundo dados do Ministério do Trabalho, a região terminou o primeiro mês do ano com 706 mil empregos formais.

Exportações em alta

As exportações da Região Metropolitana do Vale do Paraíba, com sede em São José dos Campos, cresceram 32,34% em fevereiro, ante o mês anterior. O saldo da balança comercial registrou superávit de US$ 395 milhões, 432,17% acima do primeiro mês do ano, de US$ 74,2 milhões. Com isso, a região reverteu a queda nas exportações e no superávit apresentados em janeiro, segundo o Vale, da Rede APJ.

Posse  no Tribunal Federal

Tomou posse dia 1o. de março, na capital, a nova presidente da 3a. Região do Trabalho Regional Federal (TRF-3), desembargadora Therezinha Astolphi Cazerta, em lugar de Cecília Marcondes. Nery da Costa Júnior e Luis Carlos Hiroki Muta assumiram os cargos de vice-presidente e corregedor geral, respectivamente.  A nova diretoria foi eleita para o biênio 2018-2020. A 3a. região do Tribunal abrange os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Celeridade nos processos  é a meta anunciada pela presidente. “O que a sociedade pode esperar é que a nossa administração se preocupará com a eficiência do serviço público e a prestação jurisdicional com a maior rapidez possível”, prometeu o  vice Nery.

*Esta coluna é publicada pela Associação Paulista de Jornais em apj.inf.br. Publicação simultânea nos jornais da Rede Paulista de Jornais, formada por este jornal e outros 13 líderes de circulação no Estado de São Paulo.

 

Deixe uma resposta